quarta-feira, 15 de julho de 2015

Como Pegar a Joia do Dragão

O último livro das memórias de Soluço apreensivo, pois agora ele é um pária, um traidor, e Alvin o Traiçoeiro é considerado o Rei do Oeste mais Selvagem. Alvin tem oito das dez Coisas do Rei, se ele achar mais duas, ele será coroado, e o futuro do povoado e dos dragões estará comprometido. Soluço está exilado na floresta, sendo caçado tanto pelos humanos como pelo Dragão Furioso, e pode ter perdido pra sempre o seu melhor amigo, mas ainda sim, cabe a ele ir à busca da relíquia mais importante, a Joia do Dragão, que capaz de extinguir todos os dragões da face da Terra. Ele precisa encontrá-la para evitar que ela caia nas mãos de Alvin ele a use para acabar com os dragões. 

Além dessa busca importante, Soluço colocará em prática um plano arriscado, para salvar seu pai e seus amigos, que por sua culpa, receberam a marca dos escravos e ficam na prisão Coração Negro. Uma das coisas legais neste volume das memórias de Soluço é que finalmente descobrimos a história da família de Perna de Peixe. Fiquei muito emocionada lendo sobre de sua mãe e de como eles se separaram, foi muito triste. Sou muito emotiva e Cressida tem uma forma de escrever que sempre me envolve e me emociona. A mãe de Soluço também está presente neste volume. Não sei bem como me senti em relação a ela. Na maior parte da história fiquei com raiva, pra só no final entender o porquê de suas atitudes e dar uma colher de chá.

Abraços, And

Como Roubar a Espada de Um Dragão

Nesse volume o tom se torna um tanto quanto dramático, culminando mesmo para o desfecho da história, o que era de se esperar, pois este é o penúltimo livro da série. A situação de Soluço perante a tribo fica extremamente delicada, e vemos o indício de uma grande guerra por vir. A autora, mesmo utilizando esse tom mais dramático na historia ainda sim consegue manter o humor e a leveza da história. Você não percebe as páginas passando e se vê rindo alto em alguns momentos, nesse volume conhecemos mais a fundo a história da tribo de Soluço e como tudo está de alguma forma ligado à ele.

Nesta nova aventura nem tudo ocorre bem para Soluço, na verdade as reviravoltas nesse livro são dignas de novelas mexicanas, são tantas informações, tantos links com os livros anteriores que se você tinha alguma dúvida que se tudo isso fazia sentido – as aventuras, itens e informações recebidas – nesse livro elas começam a se unir e a definir o rumo final para Soluço e todos os vikings. Uma escrita ágil e divertida, situações mais realistas e menos enroladoras e finalmente conseguimos ver Soluço e seus amigos – Camicazi e Perna-de-Peixe – em situações algumas vezes difíceis e as escolhas algumas vezes bem improváveis.

Abraços, And

Como Partir o Coração de um Dragão

Em Como partir o coração de um dragão a narrativa já começa falando sobre o centro do enredo desse volume: o desaparecimento de Camicazi, amiga de Soluço e Perna-de-peixe e herdeira da tribo das Ladras do Pântano. Claro, tudo tende a ficar pior quando a tribo dos Hooligans resolve ajudar na busca da garota no Oeste Selvagem, uma terra perigosa e afastada da segurança da Ilha de Berk. Os vikings acabam atracando o barco no território dos Criminosos Feiosos e lá eles encontram o Trono Perdido – que envolve um grande mistério. Em tempo: simplesmente adoro os nomes dos lugares e dos personagens que a autora escolhe.

Para livrar o amigo de apuros, Soluço assume a culpa e mal poderia imaginar que isso o levaria consequências severas como reencontrar seu maior inimigo, ficar preso com uma pessoa improvável e ainda descobrir uma história importantíssima sobre seus ancentrais, e com isso, desvendar qual é o seu destino. É muito interessante acompanhar o crescimento dos personagens, principalmente de Soluço que está cada vez mais inteligente e maduro. Já as cenas com Banguela, o dragão do protagonista, são garantia de risadas certeiras.

Sempre com muito bom humor a autora mais uma vez cria uma história divertida, gostosa de ser lida, que nos ensina muito sobre valores, amizade, família, liderança e rebeldia. Esse volume ainda conta com uma visão de como o ser humano pode ser cruel, ao simplesmente não entender – e muitas vezes sem nem tentar entender – o ponto de vista de outro. Apesar de ser um livro mais voltado ao público infantil, cai facilmente no gosto dos adultos. Com um epílogo de emocionar qualquer um, os livros da série são garantia de entretenimento. Uma leitura descontraída e leve para uma tarde preguiçosa no sofá ou na cama.


Abraços, And

Como Treinar o seu Viking

Como Treinar o seu Viking é um livro extra da coleção Como Treinar o seu Dragão e ele trás uma aventura curtinha de Soluço, Perna de Peixe e os dragões Banguela e Vaca Aterrorizante. O livro só tem 88 páginas, as letras são grandes e as páginas são repletas das conhecidas e hilárias ilustrações feitas pela própria Cressida, ou seja, é uma leitura muito rápida, eu o li em meia hora. Nada como uma mudança de perspectiva para dar um novo gás para uma história. Ainda mais quando essa história é uma série de livros que já ultrapassou 10 volumes. É exatamente isso que temos em Como treinar o seu viking: uma história contada por Banguela, o dragãozinho atrevido de Soluço.

Quem narra esta aventura viking é o Banguela, o dragãozinho que tem a autoestima mais alta que eu já vi. Ele conta como ele e Soluço participou certa vez de uma competição de caça, onde os vencedores ficariam livres de fazer lição de casa por três semanas e os perdedores teriam que limpar o banheiro dos dragões pelo mesmo período. Como nos outros volumes, os amigos e Banguela conseguem contornar as mais variadas adversidades que aparecem no caminho, a impressão que temos é que tudo é sempre mais difícil e complicado para Soluço e o atrapalhado Perna-de-Peixe. Apesar da pequena ladra, Camicazi, não aparecer, não senti falta dela nessa breve narrativa. 

Como todos os livros da série até agora, o livro é muito bem diagramado, repleto de ilustrações e com uma capa linda e chamativa para o público mais jovem. Pra quem gostam da série, boas notícias: está previsto o lançamento de uma série televisiva do Cartoon Network ainda esse ano baseada nos personagens desta saga. É uma história muito divertida e com uma ótima mensagem no final. Talvez seja esse o motivo de eu gostar tanto dessa série, o modo como ela é contada. Cressida sutilmente dá vários toques sobre ser quem você realmente é e não aquilo que os outros esperam que você seja.

Como Navegar Em Uma Tempestade de Dragão

Esse é o sétimo volume das memórias do nosso herói, Soluço Spantosicus Strondus III. Nesse livro Soluço e seus amigos vivem uma espetacular aventura pelos mares ocidentais. Tudo estava bem, até Soluço e seus amigos Perna-de-Peixe e Camicazi serem sequestrados por Norberto, o Demente que pretendia levá-los para um lugarzinho chamado América. 

O plano de Norberto era governar a América, que se passaria a chamar Dementolândia, mas para isso ele precisava da ajuda da coisa que tiquetaqueia, sem ela nunca acharia a América. Soluço está sendo obrigado a ajudá-lo. Estava com tanta saudade de Soluço e Banguela que coloquei esse livro na frente da minha pilha gigantesca de livros não lidos, é claro que não me arrependi! Uma coisa que percebi de diferente nesse enredo, foi o fato da autora brincar um pouco com fatos históricos como, por exemplo, o descobrimento da América e a tentativa de criação de uma máquina voadora.

Nesse livro, Cressida começa a misturar fatos históricos com as aventuras vividas por Soluço e novos dragões são introduzidos a série. O melhor de tudo é o epílogo, Soluço mais velho, nos passa uma valiosa lição e uma grandiosa reflexão.  A narrativa de Cressida, como sempre, é surpreendentemente humorada, rápido e encantador. Com ilustrações impecáveis, Como Navegar em uma tempestade de dragão vai divertir crianças, adolescentes e até mesmo adultos.

Guia do herói para vencer dragões Mortais

Esse é o terceiro aniversário de Soluço Spantosicus Strondus III, a esperança e o herdeiro da Tribo dos Hooligans Cabeludos, nosso herói teve o azar de nascer em 29 de fevereiro de um ano bissexto.Tudo que ele desejava era comemorar esse dia em paz, mas graças a Banguela, seu dragão de caça minúsculo e de jardim, Soluço vai ter tudo menos sossego nesse dia que tem tudo para ser de fato "especial". Na companhia de Banguela, Perna-de-peixe, Camicazi e seu dragão Mosca da Tempestade, eles irão embarcar a bordo de um dragão invisível com destino a Biblioteca proibida para roubar outro exemplar de Como treinar o seu dragão antes que Stoico perceba a sua falta. Mas elas não contavam com um exército de Guerreiros Cabeças-ocas e Dragões-brocas guardando a Biblioteca. Roubar livros se tornara um desafio para todos os guerreiros vikings, poucos obtiveram sucesso na tentativa, poucos sobreviveram.

Banguela apronta uma com seu dono, como sempre. O dragãozinho, dessa vez, devora o livro que todos os Hooligans adoram e que também é o único livro que não é banido pelos vikings: "Como Treinar o seu Dragão". Até aí tudo bem, se Stoico, o imenso, não precisasse do livro para mostrar á Bertha, a peituda, que os Hooligans são tão bons ladrões quando as ladras-do-pântano. Se você já leu os outros volumes, deve se lembrar que o próprio Bocão Bonarroto roubou aquele livro de Velho Enrugado, na Biblioteca Pública dos cabeça-ocas. Lá há os mais diversos livros, todo o conhecimento do mundo viking, mas os livros são considerados perigosos para os vikings, pois eles trazem influencias de um mundo civilizado. Para que Stoico não descubra o que Banguela fez, a unica saída é Soluço voar até a biblioteca e furtar do "maldito-assassino-violento-bibliotecário Velho Enrugado". É claro, com uma ajudazinha de Perna-de-peixe e Camicazi.

A narração desse livro é mais rápida do que os demais. Ou seja, logo no começo do livro, Soluço já está entrando em uma aventura. Como sempre, a narração de Cressida Cowell não decepciona, ela é divertida e cômica. Esse também é um dos volumes mais importante da série, pois é nele que vemos o começo de uma saga.

Como Mudar Uma História de Dragão

Diferente do livro anterior onde às aventuras foram narradas em meio ao inverno mais frio de todos os tempos, o quinto livro da série se passa em temperaturas elevadas, o sol de agosto resolveu castigar nossos vikings. Nada vai acabar bem nessa aula. Nessa história, Soluço estava na sua aula de Pastoreio de Renas Montando Dragões, e pediu com toda calma que Banguela não fizesse besteira dispersando as renas para todos os lados, mas não adiantou falar, Banguela, desobedecendo às ordens de Soluço voou para cima do grupo de renas, que se espalharam por todos os lados. 

Com o tempo, as renas se agruparam de novo, os vikings perceberam que um grande incêndio estava se formando ao redor do pasto e que eles estavam presos com Bocão, seu professor. Soluço Spantosicus Strondus III percebeu que algo não estava certo, o local onde os dragões descansavam estava murcho e queimado, onde deveria haver arbustos balançando ao vento com borboletas e nano dragões zumbindo agora só se via restolhos cobertos de cinzas. Dragões não ateiam fogo à terra que os sustenta e dá abrigo. Isso era coisa de dragões malévolos, dragões totalmente diferentes. 

Óbvio que ninguém deu ouvidos ao garoto e isso, como sempre, resultou em mais um problema: uma linha de fogo surge do nada, o bosque explode em chamas e prende todos em um paredão inflamável onde sombras escuras serpenteiam por entre as labaredas. Com muito humor, começando pelo nome dos personagens, Cressida narra a aventura de Soluço para impedir que um vulcão entre em erupção, impedindo que um exército de dragões Exterminadores ecloda de seus ovos. Dessa vez, o novo personagem da trama é um ex-herói, que todos pensavam estar morto há 15 anos, Fabuloso Figurão acaba por ser contratado para ser o Guarda-peito de Soluço, fazendo o papel de proteger o garoto e ensinar-lhe habilidades com a espada, luta, agilidade e coragem. E como a vida de Soluço nunca é fácil, coisas estranhas começa a acontecer e ameaçar sua vida. 

A escrita está amadurecendo, só acompanhando a série para perceber, as aventuras estão mais perigosas, difíceis, cada detalhe tem uma grande história por trás. Banguela ainda continua atrapalhado e com sede heroína, Soluço esperto e incompreendido, Perna-de-peixe amedrontado e amável como sempre, Camicazi corajosa e diva.

Como Quebrar A Maldição De Um Dragão

No Como Quebrar A Maldição De Um Dragão, quarto livro da série Como Treinar O Seu Dragão, temos a solução do acontecimento que ficou em aberto no final do livro anterior. Onde um dos nossos heróis foi picado pela Vorpente Venenosa na fuga do Forte Sinistro. O inverno mais frio dos últimos tempos chegou às Terras dos Vikings, todas as ilhas internas estão agora ligadas por um plano deserto de gelo sólido. Para não perder os costumes, o quarto livro com as aventuras de Soluço Spantosicus Strondus III e seu dragão de jardim, Banguela, começa com mais uma das aulas do idiota Bocão Bonarroto, o instrutor do Programa de Treinamento de Piratas em Berk. 

A aula da vez é a Expedição de Caça com Arco e E Flecha sobre Esquis, onde os 12 alunos teriam que descer esquiando a maior montanha das Ilhas Internas enquanto tentam atingir o maior número possível de Pica-neves Semipintados com suas flechas.E como se isso não fosse o bastante eles devem se preocupar com os Histéricos, uma tribo viking sedenta por sangue, temida por todos e conhecida por matar primeiro e depois fazer perguntas. E a cereja do bolo está por conta do dragão Garra da Destruição, uma serpente negra do mar, um pesadelo com dentes enormes que está logo abaixo do mar congelado. Bocão leva os garotos até o Monte Vilania onde deverão descer esquiando atingindo com flecha, na descida, o maior número de Pica-neves Semipintados que puderem. Só que ali perto espreita novamente o perigo: os Histéricos, vikings lunáticos e sedentos de sangue. Depois de mais ou menos uma hora tentando acertar um Pica-neve, Soluço e Perna-de-peixe encontram, adivinhem sós, os Histéricos! Mas antes de saírem sem serem notados, Perna-de-peixe enlouquece e ataca os vikings sanguinolentos.  


Ficou como um mistério no fim do livro anterior e início deste para saber quem foi picado pela Vorpente. Perna-de-peixe está estranho, tem episódios de loucura, febre, tosses e espirros. Soluço preocupado com o amigo, o leva a Velho Enrugado na véspera do Dia de Freya. O avô materno de Soluço afirma que Perna-de-peixe foi picado pela vorpente e está com vorpentite e que às 10h do Dia de Freya morrerá. Soluço, desesperado, vai atrás do único antídoto para essa doença: o Vegetal-Cujo-Nome-Ninguém-Ousa-Dizer, só que a existência deste vegetal é uma lenda.  Contrariando seu pai, Stoico, o Imenso, Soluço e Banguela saem em uma viagem nas águas congeladas em busca da batata. Eu me diverti bastante com essa conversa de batata, tem um momento em que os personagens imaginam como seria um tipo. Eles contarão com a ajuda de Camicazi, a herdeira das Ladras do Pântano, que surgiu no livro passado e é minha personagem preferida de toda a série. Ousada, forte e fofa.


As ilustrações do livro continuam lindas, Cressida Cowell criou mais uma aventura instigante e original e nossos heróis vikings ainda me arrancam risadas com tamanha falta de sorte. Várias espécies novas de dragões nos são apresentadas no decorrer do enredo, alguns são bem assustadores. A história do pai de Norberto, o Demente é bem interessante e o desfecho inesperado. Os epílogos da série são comoventes. Neste livro conhecemos a Tribo dos Histéricos, que vivem "presos" em Histeria há 15 anos por causa do Guarra da Destruição, um dragão marinho imenso que vive na Ira de Thor - o mar ao redor de Histeria. Os Histéricos vivem sob uma maldição.

Como Falar Dragonês

Nesse terceiro livro, Soluço, Perna-de-peixe, e os outros meninos ainda estão aprendendo a ser piratas. A lição da vez é invadir um barco de pescadores, mas eles não podem chegar perto das águas quentes, a Corrente de Verão, pois lá se encontram criaturas muito perigosas, como os dragões-tubarões. A aventura começa com Soluço e Banguela em companhia de Perna-de-peixe e seu dragão em mais uma aula importantíssima dos Vikings, planejada por Bocão. Como sempre, Soluço não consegue ser um dos melhores dos alunos e naquela aula isso podia causar graves problemas. Eles estavam na aula de "Como abordar uma nau inimiga" onde eles deveriam abordar um barco de pesqueiros pacíficos e trazer algo para provar o feito. Mas Banguela estava em greve e não queria colaborar, o dragão de Perna-de-Peixe estava dormindo e eles "sem querer" se perderam na neblina e estavam se encaminhando para os mares mais quentes, onde teriam grandes chances de encontrar alguns Dragões-Tubarões. Mas como nosso personagem é muito sortudo, eles invadem por engano um navio romano.

Além do salvamento de Banguela, outra coisa que move a história são os romanos. Quando Soluço está no navio dos inimigos, acaba escutando uma conversa das autoridades romanas, e descobre que eles estão armando alguma coisa.  Uma coisa que eu adorei na leitura, além dos capítulos curtos e a narrativa envolvente e simples foram os desenhos ao longo das páginas. A gente acompanha ilustrações das cenas, mapas e também as anotações de Soluço em seu livro. Aposto que é uma característica que vai atrair muitos jovens leitores a ler as aventuras de Soluço.

Como Ser Um Pirata

Como Ser Um Pirata traz mais uma aventura do nosso pequeno viking Soluço S. S. III e seu teimoso dragão Banguela. Se você ainda não leu a aventura anterior - onde ele encontra o seu dragãozinho de estimação e luta com Dragões do Mar. Nesta história os meninos vikings estão em uma tarefa de navegação, fizeram um barco, e saíram para navegar em alto mar para o treinamento de piratas. Soluço Spantosicus Strondus III e seu amigo Perna-de-Peixe batem com seu barco em um caixão.  Este caixão é de Barbadura, o tataravô de Soluço, mas há um alerta neste caixão, que somente o herdeiro verdadeiro de Barbadura poderia abrir o caixão. Eles resolvem então leva-lo até aos adultos para eles resolverem o problema.

Ao abrirem o caixão eles têm uma grande surpresa, e ai começará a busca para o verdadeiro tesouro de Barbadura, o terrível. O Banguela está mais mal-educado ainda e o Soluço precisa exercitar mais a sua "vikingdade" - vi essa palavra num blog e me apaixonei! - e sua técnica com a espada. Os Hooligans Cabeludos estão treinando os calouros para serem verdadeiros piratas da Ilha de Berk. No início do livro, mais uma vez, temos o Bocão Bonarroto e os dez garotos - só que agora estão com os seus respectivos dragões. 

Em alto-mar, Bocão conduzia o Programa de Treinamento de Piratas na Ilha de Berk: uma luta de espadas entre os garotos. No meio dessa "aula" pelo mar, o barco é atingido por um caixão, Banguela e Perna-de-peixe, os Hooligans Cabeludos decidem abrir o caixão achando que o tesouro perdido está lá. Só que eles encontram a maior surpresa de todos os tempos lá dentro! A partir daí, a tribo saí em busca do tesouro perdido de Barbadura, o Terrível na Ilha da Caveira. Soluço e seu amigo Perna-de-peixe irão descobrir muito mais do que imaginam nessa incrível aventura. Soluço está mais destemido agora, mas continua sendo chamado de Soluço, o Inútil pelo seu primo Melequento, apesar de ter derrotado os Dragões do Mar no livro anterior. 

O Soluço enfrenta uma situação cada vez mais desafiadora a cada capítulo. Esse é um daqueles livros que você sabe que vai terminar tudo bem, mas fica louco para saber o que a personagem vai fazer para sair daquela enrascada.  Um livro onde existe muito aventura Acha a forma como eles falam muito intrigantes, e apesar de serem muito heroicos, tem um que de teimosos.  Banguela o dragão de Soluço é um pequenino muito apaixonante, apesar de ser muito teimoso e dizer que são egoístas, ele é ao mesmo tempo apaixonante e cativante.

Como Treinar O Seu Dragão

Antes de tudo se você já assistiu ao filme "Como treinar o seu Dragão" esqueça a história e não espere semelhanças grandes, pois não vai encontra e vai acabar se decepcionando. Soluço e o filho de Stoico o imenso chefe da tribo dos Holigans, mas está longe de ser o herói que todos esperam ele é pequeno, fraco e não tem nenhuma habilidade atlética a unica coisa de herói que ele possui e o cabelo que fica escondido em baixo do capacete. Para se torna um membro da tribo os jovens tem que passar em teste que será feito no dia de Thor, enquanto isso os jovens tem que capturar um dragão e treina-lo ou serão expulsos da tribo. 

Na captura de dragões consiste em entrar na caverna do pico do dragão e pegar um filhote adormecido da creche e voltar, mas é claro que algo ia dar errado e com isso falo do melhor amigo de Soluço o Perna-de-Peixe que por um espirro acorda todos os dragões e acaba não capturando nenhum dragão e isso quer dizer que ele será exilado, mas Soluço da o seu dragão a ele, e restando apenas para Soluço um pequeno dragão adormecido.O dragão de Soluço era tão pequeno e sem nenhum dente que fez o ser motivo de zoação entre os outros vikings, mas esse era o menor problema de dele por que o seu dragão Banguela não o obedecia, Soluço busco então o livro Como Treinar o Seu Dragão para ter uma ajuda mas a unica coisa que ele dizia era Grite Com o Seu Dragão.


O livro não ajudou Soluço em nada, então ele tenta o método mais difícil de se torna herói falando com o seu dragão, embora eles fossem egoísta e pensarem apenas em si, Soluço tem esperança de conseguir treinar Banguela. No dia do teste Banguela está quase obedecendo a Soluço em meio de sua vingança com o dragão de Melequento o garoto que quer se torna o líder da aldeia no lugar de Soluço. Todos os jovens estão animados para o teste e todos se saem bem surpreendentemente Banguela obedece tudo mas no final ele provoca uma confusão com todos os dragões que causa a expulsão de todos os participantes da aldeia. No dia da expulsão dos jovens a aldeia é atacada por um dragão do mar, um dragão muito antigo e temido que não era visto a muitos tempo e agora nenhum dos vikings consegue derrotar esse dragão e e eles precisão de outra alternativa e só resta a Soluço finalmente derrotar esse dragão e se tornar um herói com a ajuda de Banguela. 
O livro é uma graça te levando a torcer por Soluço e a gostar de seu pequeno dragão Banguela, além de te fazer dar boas risadas. O livro é cheio de ilustrações, mapas e esquemas que te ajudam a imaginar toda a historia e a fisionomia dos personagens, além de dar todo um charme para o livro. A capa ficou perfeita e as páginas são amareladas com letras maiores que o habitual em livros oque faz a leitura ser rápida.

Biblioteca de Hogwarts - Animais Fantásticos e Onde Habitam


O Livro é show fala dos animais do mundo mágico de Harry Potter, mencionando grau de periculosidade, onde são encontrados, do q se alimentam, o que são capazes de fazer,como os bruxos conseguem esconde-los dos trouxas e etc.
Fala cerca de mais de 50 tipos de animais entre eles o hipogriffo, sereanos, basilisco,dragões que são os mais aparentes dos filmes, emfim o livro faz parte da biblioteca de Hogwarts, e será uma triologia que está sendo escrita pela própia J.K Rowlling na qual contará a vida de um jovem bruxo que estuda em Hogwarts e decide estudar os animais mágicos, a triologia será baseada 50 anos antes da entrada de Harry em Hogwarts portanto talvez não vejamos tantos atores da saga atuando nesta triologia que promete. O primeiro filme da triologia será lançado em 2016.

Biblioteca de Hogwarts - Quadribol Através dos séculos


O livro é fantástico mais uma das edições que se encontram na biblioteca de hogwarts, o livro conta toda uma história de esportes no mundo bruxo, desde os primeiros esportes inventados até inventarem o quadribol e como este mesmo veio sofrendo modificações até chegar ao quadribol apresentados nos livros e filmes da saga Harry Potter. 

Conta desde os mínimos detalhes como por exemplo o pomo de ouro que antes n era aquela bolinha e sim um pássaro e o jogo só terminava quando o apanhados pegava e esmagava o pássaro com as mãos, até mesmo as trapaças q os bruxos como chamo ''pré-históricos'' faziam para ganhar o jogo e por ai vai, na minha opnião o livro daria um super filme, quem sabe até mesmo uma triologia mais aprofundada com uma historia de um protagonista sendo incluida na historia do livro, afinal o livro não gira em torno de atores e sim do esporte em si, emfim, super recomendo o livro, e bem pequeno da pra ler em um dia, Selo Frilivro.

Biblioteca de Hogwarts - Os Contos de Beedle, o Bardo


Os Contos de beedle mais uma dos exemplares da biblioteca de hogwarts, são como contos de fadas, que as mães leem para as crianças antes de dormir, só que contos do mundo bruxo ( Harry Potter, Rowling escreveu cinco histórias para o livro. Um deles, "O Coração Peludo do Mago", não é mencionado em Harry Potter e as Relíquias da Morte,três outros, "O Bruxo e o Caldeirão Saltitante", "A Fonte da Sorte" e "Babbitty, a Coelha e seu Toco Gargalhante", recebem atenção superficial. 

"O Conto dos Três Irmãos" é a única história que aparece inteiramente no livro Harry Potter e as Relíquias da Morte. Não classifico um como melhor conto porque gosto de todos, os q mais ficou gravado na mente foi o dos três irmãos, e o caldeirão saltitante, mais ainda consigo lembrar de todos, J. K como sempre nos surpreendendo em suas belíssimas historias. Seria ótimo uma adaptação pro cinema, tipo um longa.

Série Riley Bloom - Terra dos Sonhos

O 3º volume da serie da Riley Bloom começa imediatamente após o fim do livro anterior e eu já esperava por isso, já que tem um sneak-peek ao final. Riley está oficialmente de férias e livre para curtir sua pós-vida da maneira que preferir, sem se preocupar em resgatar almas perdidas. Mas como era de se esperar de nossa eterna pré-adolescente, ela não se conforma em ficar parada quando existem tantas coisas para se explorar e descobrir em Aqui.  Avançando um pouco, Riley descobre que há como se comunicar com sua irmã, Ever, através de um processo de criação de sonhos. Querendo falar com a irmã mais que tudo para descobrir como fazer 13 anos e se tornar adolescente, Riley fica obstinada a conseguir falar com ela a qualquer custo. 


Em meio a tudo nos estúdios aonde são produzidos os sonhos, Riley, juntamente com Buttercup, dão uma volta e não conseguem um diretor para realizar o desejo dela. Então ela cai em uma armadilha criada por Satchel, um rapaz que cria pesadelos terríveis e Riley não sabe o que fazer com relação a isso.Como sempre digo o que gosto nessa série é o gostinho de lição que tem ao final - pode parecer chato, mas acho interessante e principalmente, muito válidas para pessoas como ela! Riley está amadurecendo e a cada livro aprende uma lição que certamente a beneficiará até o final da série. E estou certa que a lição que ela aprendeu ao final deste o fará uma pessoa melhor nos próximos livros.

Série Riley Bloom - Luminoso

Riley esta de ferias depois de ter conseguido fazer com que os meninos radiantes fosse para Aqui e Agora, mas o que ela não esperava é encontrar um cão infernal na praia onde está. Movida pela sua curiosidade e sem ouvir Bodhi que fala que ela não deve se envolver, ela resolve seguir o cão. Quando Bodhi explica que cães infernais são até comuns e que eles normalmente protegem alguma coisa ou alguém, a curiosidade de Riley fala mais alto e ela decide descobrir o que tem na ilha. Riley continua a pentelha teimosa que eu adoro. Claro que essa característica dela combina bastante com “se meter em encrenca”.

Riley, ao tentar desvendar o mistério por trás do cachorro, conhece uma menina-fantasma que é puro mal. Riley se arrepende de ter sido curiosa, mas acaba envolvida quando a menina-fantasma (Rebecca) confina Buttercup e Bodhi em uma bolha de pura raiva e lembranças ruins. Riley, que deve resgatar seus amigos contando com a ajuda de um príncipe/mendigo africano, descobre que ela se meteu numa história de escravidão, sofrimento e muita raiva. Ela decide, então, usar seus talentos para ajudar várias almas presas na terra.
Achei interessante a autora ter incluído uma nota que conta que a parte dos escravos foi baseada em alguns fatos reais, porque essa relação faz com que as pessoas se interessem mais pelos personagens, pelo simples fato de ser possível pesquisar sobre o assunto. A narrativa continua leve e divertida e você consegue lê-lo em apenas uma trade sem pesar.  Outro detalhe que eu gostei bastante foi conhecer um pouco mais da vida do Bodhi e ver que ele é igual a todos os adolescentes e tem suas próprias inseguranças e seus próprios remorsos.

Série Riley Bloom - Radiante

A história de Radiante mostra uma Riley um pouco diferente, menos “pirralha”, mais confortável com a idade dela (Riley é a irmã mais nova de Ever, personagem principal da série Os imortais) – ela ainda pode gostar de Jonas Brothers e ser bem impulsiva, mas ela é bem menos pentelha que a visão que temos dela nos outros livros.  Ao cruzar a ponte dos espíritos, que faz com que eles não estejam mais ligados ao plano terreno, ela aceitou que morreu e que não deve interferir no assunto dos vivos, se junta a seus pais e ao seu cachorro Buttercup. Riley Bloom se preparando para seu primeiro dia de aula. Há aulas no céu? Na verdade, é uma espécie de conselho angelical, que decide seu devido lugar no céu. Como Riley ainda continua apegada a sua vida mortal e a sua irmã Ever, que ficou na Terra. 

O conselho decide que ela deve voltar a Terra e virar Apanhadora de Almas, isso é, dar uma mãozinha as almas que teimam em continuar na Terra. Ao cumprir missões, o espírito fica radiante, envolto de luzes que ampliam e mudam de cor a cada missão cumprida – e é isso que Riley deve buscar agora. Logo na primeira missão, Riley já encontra vários desafios ao parar em uma casa mal assombrada, mas mesmo assim tenta superá-los junto a Bodhi (seu treinador) e Buttercup. Lembra um pouco Ghost Whisperer (o seriado), mas do lado dos espíritos, achei interessante a abordagem – pode não ser original, mas é interessante. A única coisa chata do livro é que as coisas acontecem muito rápido e quando você começa a pegar gosto, acaba.

Os Imortais - Infinito

Ever e Damen conseguiram derrotar os inimigos que atrapalhavam suas vidas, mas ainda há obstáculos a serem superados antes de se amarem plenamente. Damen continua envenenado, o que impede que eles vivessem a paixão pela qual anseiam há séculos. Encontrar o antídoto, para livrá-los dessa maldição, é a única solução. O sexto e último livro da série, superou minhas expectativas! O livro desvenda todos os segredos da história de amor entre Ever e Damen, além de revelar surpreendentes fatos das vidas passadas de outros personagens como Jude, Ava, Romy, Rayne, Miles, Haven, Drina e Roman. 

A história começa tratando da escuridão que alcança Summerland, que se vê envolta em lama e um ambiente bem sinistro, deixando de ser, aos poucos, o lugar mágico e adotando um tanto quanto um ar de Shadowland. Nossa protagonista tem quase certeza de que essa mudança tem a ver com as decisões tomadas por ela e por Damen; até que se depara com uma senhora um tanto estranha, que se autodenomina Lótus, como a famosa flor. E é através de uma conversa com Lótus que Ever decide seguir em uma duvidosa e assustadora jornada, a fim de desfazer o mal causado a Summerland bem como para descobrir a resposta da maldição que assombra Ever e Damen desde sempre.  Damen não quer mais problemas e está convencido de que Lótus é apenas uma mulher solitária e louca. 

Tudo o que importa é encontrar o antídoto. Mas Ever não consegue esquecer a canção e o olhar de acusação daquela velha senhora. Contrariando a vontade de Damen, Ever decide desvendar esse enigma. Em um encontro com essa senhora, Ever descobre uma vida passada que desconhecia e que a mesma desconfia que Damen preferisse “esquecer”… Ever se descobre como Adelina, a prima pobre de Esme (Drina), prometida ao Príncipe e futuro Rei Alrik (Damen). Uma vida que vai mexer com tudo o que Ever conhecia sobre si mesma, sobre o porquê de sempre retornar e se apaixonar por Damen, o porquê da maldição, como a mesma começou.

E é aí que Ever deve tomar a grande decisão do livro: ser imortal fisicamente ou ter a verdadeira imortalidade, a da alma? Confesso que não esperava o final, apesar de saber que Ever e Damen terminariam juntos, não imaginava que fosse dessa maneira, com uma decisão que mudaria todo um rumo de uma vida, que mudaria suas vidas para sempre… Agora é aguardar pelos próximos movimentos da autora e, enquanto a história de Ever e Damen aparentemente tem o final feliz, podemos ir aos divertindo com o spin-off sobre a irmã de Ever,Riley Bloom.

Os Imortais - Estrela da Noite

No quinto livro, Ever está enfrentando as consequências de tudo o que fez em Chama Negra. Em ‘Estrela da Noite’ Ever continua com sua luta pela escolha entre seu eterno amor por Damen ou sua intensa paixão por Jude. Mas a mais coisa em jogo do que uma simples escolha entre dois homens. De melhores amigas a inimigas mortais. Haven jurou vingança a Ever pela morte de Roman, mesmo tendo sido Jude quem o matou. Desde o infeliz incidente as ameaças são constantes. Haven faz questão de fazer gato e sapato de Ever até o momento que considerar ideal para matá-la e, para tal, decide utilizar os segredos sombrios de Damen que Ever desconhece, mas que são capazes de separá-los para todo o sempre.

Com treinamentos pesados, Ever tenta melhorar suas habilidades para combater a força descomunal de Haven, mas algumas revelações desestabilizam-na emocionalmente, deixando-a vulnerável às armações de sua nova inimiga. Mas Ever ainda tem um trunfo na manga. O vício de Haven a domina completamente, deixando-a instável e a beira de um colapso, porém, se não for controlada adequadamente, Ever corre o risco de que sua ex melhor amiga exploda em suas mãos. Entre as brigas de Ever e Haven há Miles, que nesse livro se destaca e nos mostra quem realmente é; Impressionei-me muito com ele, suas escolhas e diálogos. Ao contrário dos anteriores, Ever finalmente criou algum juízo e se rendeu a aceitar a ajuda dos que a rodeiam. Resumindo, deixou de fazer besteiras impensadas o tempo todo, o que por sinal conseguiu irritar todo mundo. A narrativa segue a mesma linha, leve, fluente. 

A história tomou um rumo interessante, apesar de eu não gostar do que se tornou a Haven, ainda assim é uma ótima reviravolta para a série. A questão do sexo acabou perdendo a evidência, ainda é assunto primordial para Ever e Damen, mas já não é o mais importante, visto que inúmeras vidas correm perigo, inclusive as suas próprias. Os personagens num geral cresceram e se desenvolveram melhor neste livro, amadurecendo alguns "defeitos" irritantes e melhorando suas interações com a história. Sabine não aceita a realidade e por isso há cenas de sermão e brigas dentro de casa, que a meu ver deixaram o livro um pouco mais "realista". Não é normal tantos personagens aceitarem tão bem algo como imortalidade e todos os poderes citados no livro. E ainda há o problema mais grave para Ever: o antídoto. Ela está disposta à tudo para consegui-lo e enfim aproveitar sua relação com Damen por completo.  Acontecem várias reviravoltas durante o livro e o final realmente me surpreendeu. Aguardando ansioso para o grande final em "Infinito".

Os Imortais - Chama Negra

Bom, a diagramação do livro segue o mesmo exemplo dos outros da série, portanto, não vou ficar falando sobre isto agora. A capa, assim como as dos livros anteriores, tem uma relação com a história e, em alguns casos, pode até mesmo ser um spoiler. A propósito, por mais que eu evite, esta resenha tem um pouco de spoiler para quem não leu os três primeiros livros.

Diferente de Terra de Sombras, este livro tem mais ação que enrolação. A Ever, no entanto, continua sendo aquela mesma personagem meio burra que faz tudo errado, mas agora ela está mais que determinada a acertar as coisas. É uma pena que as coisas nem sempre saem como a gente quer, né? Como se não bastasse o fato de sua tia namorar seu professor de história e os dramas do relacionamento dela com o Damen (principalmente porque ela está cada vez mais próxima do Jude), agora ela tem como inimiga a sua "ex-melhor amiga" e fez um feitiço que acabou dando errado, deixando-a presa ao Roman.

Para não se encrencar ainda mais, a personagem principal começa a tentar desfazer o feitiço e, é óbvio, sempre piora tudo. Só para complicar ainda mais, as gêmeas de Summerland estão sendo cuidado pelo Damen, o que faz com que o casal se distancie cada vez mais. Bem, a escrita da Alyson está maravilhosa neste livro, a narração flui de um jeito incrível, ao contrário do que aconteceu no livro anterior. No entanto, diferentemente dos outros livros (no qual o final é uma repetição entediante do final anterior, só mudando personagens), o final de Estrela da Noite traz um elemento novo: um enigma, em forma de canção, que Ever deve desvendar para poder desfrutar da felicidade. Resta saber se no próximo livro da série, Infinito, a autora irá explorar de maneira interessante esse novo elemento ou se continuará apegada ao ciclo vicioso dos livros anteriores.
 
Eu tenho esperanças que ela utilize esse novo elemento para criar uma situação completamente diferente das situações relatadas nos livros anteriores e que, com isso, a história fique mais emocionante, seja mais atraente e também surpreendente – acho que a novidade é algo que faltava ao enredo desse livro, pois desde o segundo livro ficou tudo muito previsível. Chama Negra é uma mistura de romance, drama, mistério, surrealismo e intrigas, e conseguiu me prender desde a primeira frase. Apesar de continuar fazendo tudo errado, a Ever amadureceu muito e deixou um pouco da sua teimosia de lado. O final como sempre, me deixou surpresa e com vontade de ler o quinto volume da série.

Os Imortais - Terra de Sombras

Depois de ter sido traída por Ava e ter feito a escolha errada no fim do último livro, Ever se vê condenada a passar a eternidade afastada de Damen. Mas ela não pretende aceitar esse destino tão facilmente e tentará de todas as formas convencer Roman a entregar o antídoto que a permitirá tocar novamente em seu grande amor. Enquanto ela se tortura tentando encontrar a solução desse problema, surge Jude, um surfista bonitão que parece não ter aparecido em sua vida por acaso.

Terra das Sombras começa com Ever que agora está sofrendo as consequências de seus atos não muito inteligentes no final do segundo livro. Ela e Damen não podem mais se tocar, caso isso aconteça, ele morre. Então, ela vai tentar falar com Roman, já que ele tem o antidoto para esse problema. Mas assim que ele determina o preço que ela precisaria pagar, Ever percebe que será mais difícil do que ela pensou.

O livro se desenrola na história de Ever tentando buscar uma solução sozinha. Entre feitiços, livros em códigos e mais dramas de adolescentes. A parte legal da narrativa da Alyson Noël, é que ela é muito rápida. Os capítulos curtos e a ansiedade de querer saber como ela vai resolver tudo acabam fazendo com que eu leia os livros da série muito rapidamente. A história é sim, intrigante. Eu estou sempre querendo saber o que vai acontecer e isso acaba fazendo com que eu não consiga desistir da série.

Vamos falar agora dos motivos que ainda me incomodam. Ever, Ever, Ever. Cometer um erro uma vez é humano, mas persistir no erro é escolha. Ela precisa imediatamente começar a ouvir os outros. Em Lua Azul ela não dá ouvidos às gêmeas e se mete em confusão, e em Terra de Sombras ela não dá ouvidos ao próprio namorado - que por sinal, tem anos de experiência no assunto da imortalidade - e se mete em confusão de novo.

Enfim, espero que ela aprenda de uma vez. A autora adiciona um personagem novo, que deixa um clima de triângulo amoroso e Damen ciumento na história. Eu gostei disso nesse livro em particular, mas quero ver como a autora vai desenvolver nos próximos. Tenho fé que a Ever vai melhorar, estou torcendo muito para que ela se ligue e aprenda com os erros no próximo livro. Se isso acontecer, será uma leitura sem tantas brigas entre eu e a ela. Não gosto muito de brigar com os personagens, mas nesse caso foi necessário.

Os Imortais - Lua Azul

Lua Azul - Esse é o Segundo volume da série Os Imortais. Ever agora é imortal, também toma o suco que lhe dá vida eterna e faz com que sua pele e sua aparência a tornem muito mais bonita. Ever e Damen estão muito bem, desde que ela se tornou imortal eles tem o resto da eternidade para ficarem juntos. Nesse livro, um novo personagem é adicionado a trama, Roman. Ele é daqueles personagens que desde o inicio já sabemos que não é confiável. Roman foi um personagem que eu odiei desde a primeira linha que ele aparece. Simplesmente não fui com a cara dele em nenhum momento. Ever também não, mas ela foi o exemplo da ingenuidade nesse livro. Ever nesse livro está pronta para agir, pronta para realmente salvar Damen do que quer que esteja acontecendo com ele. Achei isso legal dela, tomar uma iniciativa e buscar respostas e soluções. Mas, a autora passa o livro todo criando expectativas no leitor para que quando Ever realmente descobrisse algo, seria uma descoberta impactante.

Na verdade o amor que Damen sente por ela é desde de vidas passadas que o mesmo lhe conta que vive a cerca de 400 anos e sempre amou Ever mas em nenhuma reencarnação dela ele conseguiu ficar com ela. Agora além de ser imortal ela consegue materializar tudo que deseja mas para isso precisa de aprendizado e Damen se empenha em ensinar para ela os seus pensamentos para conseguir materializar tudo que deseja como por exemplo um carro, uma roupa, enfim tudo que quiser aparece na sua frente. Damen a leva em lugares maravilhosos e caros e a faz conhecer outro mundo. Porém começa a acontecer algumas coisas muito estranhas com Damen, uma doença misteriosa ameaça o futuro dos dois juntos e Damen começa a perder seus "poderes" e a se esquecer de tudo já viveu, inclusive começa a tratar Ever muito mal, então Ever se vê entrando em outra dimensão mística que é Summerland onde ela conhece toda a história de Damen e consegue ter o poder de voltar ao tempo onde será necessário escolher o que ela deseja : Que seus pais voltem ou que Damen seja curado ?

Os Imortais - Para sempre



Comecei a ler esse livro com um pé atrás, talvez com medo de não gostar depois de tantas resenhas negativas. A capa é muito linda e no final a gente entende que ela tem tudo a ver com a história. Ever Bloom tinha uma vida perfeita – era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite. Até que um desastre de automóvel transformou tudo em um pesadelo angustiante. Ever perdeu toda a sua família. Mudou de cidade, de escola, de amigos, e agora, além de todas essas transformações em sua vida, ela precisa aprender a conviver com uma realidade insuportável – após o acidente, ela adquiriu dons especiais.


Ever enxerga a aura das outras pessoas, pode ouvir seus pensamentos e, com um simples toque, é capaz de conhecer a vida inteira de alguém. Ela foge do contato humano, esconde-se sob um capuz e não tira dos ouvidos os fones do i-pod, cujo som alto encobre o som das mentes a seu redor. Até que surge Damen. Tudo parece cessar quando ele se aproxima. Só ele consegue calar as vozes que a perturbam tão intensamente. Ever não entende o porquê disso, mas é incapaz de resistir à paz que ele lhe proporciona, à sensação de, novamente, ser uma pessoa normal. Ela não faz ideia de quem ou o quê Damen realmente é. Sua única certeza é estar cada vez mais envolvida e apaixonada.

Ever é uma personagem boa, mas às vezes ela me irritou muito com sua caretice. Damen é o típico homem dos romances sobrenaturais: Perfeito, lindo e misterioso. Mas eu vi diferenças na personalidade dele, como um humor impagável e até um desapego pela Ever, pois ele não é do tipo "grude". Riley é uma personagem muito essencial! É muito divertida e também rendeu momentos emocionantes ao longo da leitura. Ava, a vidente, também foi uma personagem muito importante para o desfecho e confesso que ela começou para mim só como uma personagem secundária, mas depois me conquistou completamente. Agora, sobre os amigos da Ever: Miles é um personagem que suaviza mais as coisas, com seu humor e alegria. Haven... Ah, Haven! Eu nunca vi personagem secundária mais chata que essa, sinceramente espero que a Alyson dê um jeito de matá-la nos próximos livros! No começo ela é mega irritante, no meio começa a melhorar e no fim piora mais um pouco.

Tenho que fazer uma observação antes de ir para os próximos pontos: Todo mundo diz que a Ever é chata, mas eu não percebi esse defeito nela. Tudo bem, ela é muito irritante em certos momentos, mas no fim ou em bem mais do meio, eu consegui entender todas as ações dela. O livro em si pode ser definido só por uma única palavra: Misterioso. Simplesmente não cogitei em largá-lo antes de saber as respostas para todas as perguntas que martelavam na minha cabeça. São muitos mistérios e a quantidade só aumenta a cada capítulo. Todos parecem suspeitos e nada é o que parece. Pelo que percebi na história, a Ever não sabe lidar com os poderes no começo e vive se culpando pela morte de sua família, mas Damen alivia tudo. Achei legal também a protagonista não ser reclamona, por exemplo: "Eu quero ser como você, blá blá, blá..." Não é uma leitura cansativa, já que os capítulos são curtinhos e bem gostosos de se ler. Em nenhum momento fiquei entediado e esse fato logo fez com que a história ganhasse pontos comigo. A Alyson Noël tem uma escrita muito boa, de fácil entendimento, mas com uma profundidade inacreditável.

O Livro todo retrata o assunto da espiritualidade de uma forma muito aberta, mas tudo fica nas entrelinhas para você mesmo entender e tirar suas próprias conclusões. Há um certo momento que a história começa a ficar viciante, muito viciante. Os mistérios aumentam, juntamente com o perigo e tudo isso recai sobre Ever. Ela está ainda mais vulnerável depois que alguns fatos ocorreram na história e eles contribuiram para a maior ação no livro e também suspense. Você realmente não sabe o que vai acontecer e torçe para o desfecho feliz. Depois de certo momento, as coisas ficam perigosas para Ever e ela começa a descobrir quem realmente é seu amigo e inimigo. Alguns mistérios são finalmente revelados e outros ficam para o próximo livro, Lua Azul. Damen e seus mistérios são revelados aos leitores, pelo menos em partes. O romance de Ever e Damen é lindo e encantador, faz dar suspiros na leitua. Ao longo dos fatos, esse amor é posto à prova, em um teste da vida que pode fortalecer ou acabar de vez com a relação de Ever e Damen. Quando tudo parece estar resolvido, novos perigos e muito suspense nos esperam, prontos para prender de vez na leitura.

O final é surpreendente, eu pensei que a Alyson ia enrolar um pouco para deixar acontecer o que aconteceu. Não é uma leitura maçante, e fico muito feliz ao dizer que gostei desse primeiro livro, muito bem construído por sinal e com um belo romance. Dosado com um pouco de tudo, "Para Sempre" conseguiu me emocionar, despertar frustração e também me alegrar, com momentos ótimos de suspense e ação. Falando um pouco do design gráfico, está simplório, mas mesmo assim bem bonito. Estou muito ansioso para a continuação, principalmente depois de ler o primeiro capítulo de Lua Azul disponível no livro, e realmente espero que a série só melhore, pois adorei a história e acho que ela tem muito potencial para se tornar um sucesso aqui no Brasil. Recomendo para todas as pessoas.

Box: O Essencial da Estratégia - A Arte da Guerra


Sinopse

O maior tratado de guerra de todos os tempos em sua versão completa em português. "A Arte da Guerra" é sem dúvida a Bíblia da estratégia, sendo hoje utilizada amplamente no mundo dos negócios, conquistando pessoas e mercados. Não nos surpreende vê-la citada em filmes como Wall Street (Oliver Stone, 1990) e constantemente aplicada para solucionar os mais recentes conflitos do nosso dia-a-dia. Conheça um dos maiores ícones da estratégia dos últimos 2500 anos.

A Arte da Guerra, foi escrita por Sun Tzu, por volta do séc. IV a.C., durante o turbulento período dos Estados Guerreiros da China . Seus ensinamento, contudo, não perderam o brilho, nem deixaram de ser atuais. A obra é dividida em treze capítulos, cada um deles fala sobre um aspecto da estratégia militar. Juntos, eles formam um cenário composto por eventos e estratégias que devem ser utilizado durante a batalha. De uma forma inteligente e com argumentos bem definidos, o autor expõe a importância de temas como motivação, disciplina e obediência. Apesar de ter uma caráter puramente militar, a obra de Sun Tzu, deixou os campos de batalhas e ganhos destaque na guerra dos negócios. Considerando a concorrência como a força inimiga e o campo de batalha como o mercado, temos conceitos facilmente aplicáveis ao mundo dos negócios.

Como sou estudante de administração de empresas, esse livro é sempre indicado para leitura, mas nunca me animei para lê-lo, inclusive o abandonei umas três vezes, aproveitei o desafio literário para finalmente concluir o livro. A leitura, para mim, foi um pouco difícil, primeiro porque não é o tipo de leitura que gosto de ler, além disso, os capítulos são formados por versos, e sempre com comentários, sem a continuidade que estamos acostumados. Mas nem isso tirou o brilhantismo da obra que alcançou milênios.


A Arte da Guerra, é uma obra de imenso valor, grandes estrategistas ao longo da histórias se utilizaram de seus ensinamentos. Gregos e romanos em suas batalhas deixaram registrados suas estratégias, contudo, nenhum o superou em fidelidade no que ser refere ao campo de batalha. Sun Tzu, não se preocupou em estudar uma situação singular, como estudaram os espartanos, por exemplo, mas sim todas as situações e eventos, independentes da época, território, cultura.

Uma lição importante que podemos destacar da obra é que vencer a vaidade, a ira, a arrogância constitui uma importante fórmula para a vitória. Na batalha (nos Negócios) devemos conduzir os adversários a agirem de acordo com nossas necessidades, transformando seus atos em vantagem estratégica, sempre agindo em conjunto e tendo completa ciência do território e obstáculos a vencer. Um manual (milenar) de estratégias, que pode ser usado ainda nos dias de hoje... O que está escrito nesse livro pode ser usado em qualquer aspecto da vida, muitos descobriram isso e escreveram livros à respeito.

Trocando as palavras Guerra, Batalha, Operação Militar por qualquer outra como Empresa, Concorrência, Mercado, conseguimos obter do texto o mesmo ensinamento, é bem interessante. Não vejo violência no livro de Sun Tzu. Os tempos eram outros e bem violentos só que esse tipo de texto precisa ser adaptado para nossa realidade e nossa época onde já estamos cansados de ver que violência só gera mais violência e não resolve problema algum.

Box: O Essencial da Esttégia - O Livro dos Cinco Anéis


Sinopse

O Livro dos Cinco Anéis - Gorin No Sho - é o mais importante tratado estratégico dos samurais. Seu autor, Miyamoto Musashi (1584-1645), é considerado o samurai mais famoso de todos os tempos. Em sua época, derrubou escolas consagradas e venceu guerreiros formidáveis, impondo-se como um guerreiro imbatível. Lutou mais de 60 duelos, esteve presente em diversas batalhas e nunca foi derrotado.

Myiamoto Musashi é considerado o maior samurai do Japão feudal. Trilhou a sua vida pelo Kenjutsu, o Caminho (ou Arte) da Espada, um conjunto de regras virtuosas baseadas no Zen, Xintoísmo e Confucionismo.
"Quando não puder mais ser enganado pelos outros homens, terá finalmente compreendido a sabedoria da estratégia."


Reza a lenda que venceu o seu primeiro duelo aos treze anos de idade e até morrer (de velhice, é claro) nunca conheceu a derrota. Prevendo que seu fim se aproximava, resolveu deixar escritos os ensinamentos da sua escola Niten Ichi Ryu para a posteridade. O seu estilo era o de duas espadas, uma longa e uma curta.

Escritos em 1645, seus conselhos são estudados até hoje como referência sobre estratégia para homens de negócios e de marketing. Parece barbárie considerar técnicas de duelo de espadas e formas de matar o oponente como leitura educativa em um mundo civilizado. Mas é preciso ter em mente que viver e morrer pela espada era o ideal mais nobre e elevado que existia naquela época. "De modo geral, o Caminho do guerreiro é a aceitação resoluta da morte." Acima de tudo, o Caminho da Espada deveria ser seguido como filosofia de vida. "É necessário manter a posição de combate na vida diária e fazer da posição diária a sua posição de combate." "Estude a estratégia no decorrer dos anos e conquiste o espírito do guerreiro. Hoje é a vitória sobre o você de ontem; amanhã será a sua vitória sobre os homens inferiores."

Os cinco anéis são tópicos chamados de Terra, Água, Vento, Fogo e Vazio. Musashi ensina que os samurais não deveriam ser somente os melhores na espada e na palavra, mas aprender um pouco sobre todas as outras artes. "O Caminho do guerreiro é o da palavra e o da espada, e ele deve apreciar ambas as coisas. Mesmo que um homem não possua nenhum talento natural, pode tornar-se um guerreiro se aderir assiduamente às duas divisões do Caminho."

É interessante notar as analogias utilizadas pelo autor para tornar o seu ensino mais compreensível. Em uma delas ele compara a batalha do guerreiro à construção de uma casa, em outra a um jogo de futebol (é, o futebol era um jogo de quadra no Japão medieval). A maioria de seus princípios traz a aplicação em combates homem-a-homem e em grande escala (batalhas). Isso mostra a visão estratégica, tanto individual quanto coletiva, que Musashi tinha. "Na estratégia, é importante ver as coisas distantes como se estivessem próximas e observar de longe as coisas próximas."

Box: O Essencial da Estratégia - O Príncipe


Sinopse
Sob a atmosfera inquieta da Renascença e domina¬do pela ideia da unidade italiana, Maquiavel escreve “O príncipe”. Nele tenta definir o poder, as formas de governo, as virtudes do soberano e uma nova ética do fazer político. O texto reflete as condições da época, o combate às tradições medievais e é notável a abordagem livre de fatos históricos. Maquiavel deixou como legado, sobretudo com este escrito, uma contribuição essencial para a ciência política.


Com base na observação de procedimentos da ação dos grandes homens (os líderes, no dizer de Maquiavel) e no conhecimento adquirido pela leitura de tal ação em diferentes momentos da história, o segundo secretário do Dieci fundamenta sua teoria do poder. Esta tem dois princípios básicos: a legitimidade e a organização. Legitimidade implica em saber o Príncipe sera aceito como poder pelos dominados. Organização implica em ter boas leis e boas armas. Boas leis, na ótica de Maquiavel, são os que asseguram o poder centralizado e boas armas são aquelas inteiramente fieis e obedientes ao Príncipe. É uma fórmula quase matemática que possibilita a quem souber utilizá-las o exercício do poder.

Portanto, não basta à legitimidade e a organização, só o Príncipe que saiba atuar de acordo com a necessidade do momento (tiver virtù) será capaz de neutralizar o imprevisível (a fortuna). Virtù e fortuna constituem as categorias ontológicas que fundamentam a teoria política proposta em O Príncipe. Maquiavel pensa o poder como algo de imanente e não como transcendente, em decorrência pensa as relações entre os homens como um jogo de forças regidas por explicações intrínsecas e naturais. Isto o permite compreender o “fazer política” – cujo objetivo é conquistar e manter do poder - como algo que tem regras e leis próprias, não redutíveis às regras da moral tradicional. Reconhecido como o fundador do pensamento e da ciência política moderna, pelo fato de haver escrito sobre o Estado e o Governo como realmente são e não como aparentemente deveriam.

No Escuro

Sinopse: 

Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele. Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo. Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador.

Catherine aproveitou a vida de solteira por tempo suficiente para reconhecer um excelente partido quando o encontra: lindo, carismático, espontâneo Lee parece bom demais para ser verdade. Suas amigas concordam plenamente e, uma por uma, todas se deixam conquistar por ele. Com o tempo, porém, o homem louro de olhos azuis, que parece o sonho de qualquer mulher, revela-se extremamente controlador e faz com que Catherine se sinta isolada. Amedrontada pelo jeito cada vez mais estranho de Lee, Catherine tenta terminar o relacionamento, mas, ao pedir ajuda aos amigos, descobre que ninguém acredita nela. Sentindo-se no escuro, ela planeja meticulosamente como escapar dele. Quatro anos mais tarde, Lee está na prisão e Catherine, agora Cathy, tenta reconstruir a vida em outra cidade. Apesar de seu corpo estar curado, ela tornou-se uma pessoa bastante diferente. Obsessivo-compulsiva, vive com medo e insegura. Seu novo vizinho, Stuart Richardson, a incentiva a enfrentar seus temores. Com sua ajuda, Cathy começar a acreditar que ainda exista a chance de uma vida normal. Até que um telefonema inesperado muda tudo. Ousado e poderoso, convincente ao extremo em seu retrato da obsessão, No escuro é um thriller arrebatador.
Elizabeth Haynes trabalha como consultora para o serviço de informações confidenciais da polícia e desde pequena demonstrou interesse pela leitura. A sua primeira obra Into the Darkest Corner  conhecida no Brasil como No Escuro  foi publicada em 2011 e conquistou o prêmio de melhor livro da Amazon do Reino Unido. O sucesso é tanto que o livro já foi publicado em mais de trinta países e traduzido para vinte idiomas.

No Escuro conta a história de Catherine Bailey, uma mulher que tenta lutar contra os traumas do passado. Foi assim que ela aprendeu a ser uma sobrevivente. Sua rotina é sempre a mesma, principalmente pelo fato de ela ser portadora de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e Estresse Pós-Traumático (EPT). Ao recomeçar a sua vida em Londres, Catherine prometeu que não cometeria os mesmos erros de antigamente. Tentava ser exemplar no trabalho e mantinha distância de amizades ou relacionamentos. Sua mente ainda guardava memórias do inferno que a sua vida era quando o conheceu.

Tudo mudou há três anos, quando Cathy vivia em Lancaster e era uma jovem baladeira que não se importava com as consequências de seus atos. Ir para cama com estranhos e acordar em lugares desconhecidos se tornou algo comum em sua rotina. Quando ela decidiu visitar uma boate com suas amigas, conheceu o misterioso Lee. O tipo de homem que faria qualquer mulher cometer loucuras por ele. Assim que o conheceu, Cathy sabia que os seus casos de uma noite estavam prestes a acabar. Lee possuía todas as características do homem perfeito, sendo sedutor, inteligente e romântico. Ele prometeu que a adorável Cathy viveria um relacionamento dos sonhos, com encontros em lugares fantásticos e momentos surpreendentes. Entretanto, Lee evitava comentar sobre o seu passado ou sua profissão  que o fazia sumir por dias. Após alguns meses, ele passou a controlar a vida de sua amada, seguindo os seus passos e a punindo quando não o obedecia. Os segredos do passado  aos poucos  estavam sendo revelados.

Narrado em primeira pessoa, No Escuro é um thriller que possui o lado da cruel realidade dos relacionamentos abusivos. O passado e o presente são alternados em capítulos, sendo o passado entre os anos de 2003/2004, e o presente entre os anos de 2007/2008. Os primeiros anos relatam o que fez com que a protagonista ficasse tão fria e distante da sociedade. Como uma jovem divertida e cheia de vida se tornou uma mulher vazia e sem esperança de um mundo melhor.A autora conseguiu construir personagens com características que dominam a narrativa. A descrição dos acontecimentos é direta e objetiva, não poupando o leitor. O conto de fadas de tantas tramas é substituído por situações chocantes, intensas e cruéis. Os malvados são punidos, mas se possuem poder, logo são liberados de suas sentenças. As vítimas, por outro lado, buscam apenas a sobrevivência dentro de um mundo de falsas promessas. A esperança, neste caso, fica de escanteio.

No geral gostei muito do livro, e principalmente da escrita da autora, to louco por outros livros da mesma, não é cansativa, a leitura nos prende, sem mais, indico a qualquer um que gosta de um romance mais ''apimentado'' de todas as formas.

O Encantador da Montanha

Sinopse

Autor do best-seller “Encantadores de vidas”, Eduardo Moreira se aventura pela ficção para contar a história de Pólio e sua jornada por autoconhecimento. Em capítulos curtos, narra o encontro do jovem com o sábio Laervas, mestre de quem se tornará amigo e aprendiz, e com quem encontrará os caminhos de se compreender e de se recolocar no mundo. Nessa metáfora do processo de amadurecimento pessoal, Eduardo investe numa prosa que é um poderoso convite à meditação. Dia após dia, Pólio e Laervas dedicam-se a caminhadas pela floresta, explorando os arredores da montanha onde o sábio vive, isolado e em comunhão com o meio ambiente. Nos detalhes do cotidiano, Pólio aprende a observar a natureza, engrenagem da qual extrai lições que o acompanharão para sempre. O jovem, à procura de respostas para sua própria vida, depara-se com experiências que em muito ampliarão a expectativa inicial e que lhe oferecerão meios para uma existência fundamentada no presente e na humildade. A vida na floresta o ensinará a não julgar os outros pela primeira impressão e a reconhecer que, às vezes, é preciso recomeçar do zero.  O livro seduz pelos ideais de liberdade e pela mensagem de paz que oferece ao leitor. As ilustrações enriquecem as palavras do autor, que mais uma vez nos mostra que é possível superar os obstáculos mais improváveis, sobretudo aqueles que nós mesmos nos impomos e que freiam o verdadeiro potencial de uma vida.


Em capítulos curtos, O Encantador da montanha narra o encontro do jovem com o sábio Laervas, mestre de quem se tornará amigo e aprendiz, e com quem encontrará os caminhos para se compreender e para se recolocar no mundo. Nessa metáfora do processo de amadurecimento pessoal, Eduardo investe numa prosa que é um poderoso convite à meditação. 

Dia após dia, Pólio e Laervas dedicam-se a longas caminhadas pela floresta, explorando os arredores da montanha onde o sábio vive, isolado e em perfeita comunhão com o meio ambiente. Nos detalhes mínimos do cotidiano, Pólio aprende a observar o movimento orgânico da natureza, engrenagem da qual extrai lições que o acompanharão para sempre. O jovem, à procura de respostas para sua própria vida, depara-se com experiências que em muito ampliarão a expectativa inicial e que lhe oferecerão meios para uma existência fundamentada no presente e na humildade, e desapegada de preconceitos e ansiedades. A vida na floresta o ensinará a não julgar os outros pela primeira impressão e a reconhecer que, às vezes, é preciso recomeçar do zero. O livro seduz pelas lições maduras - pelas palavras de liberdade, pela mensagem de paz e de esperança no homem, nos homens - que oferece ao leitor. As ilustrações delicadas e inovadoras enriquecem as sábias palavras do autor, que mais uma vez nos mostra que, com vontade e foco, é possível superar os obstáculos mais improváveis, sobretudo aqueles que nós mesmos nos impomos e que freiam o verdadeiro potencial de uma vida.

O Homem Que Queria Ser Feliz

Sinopse

Uma pérola prestes a se transformar num fenômeno." - Paris Match
"Um livro que passou a ser indispensável." - L'Express

Imagine descobrir que tudo que você acreditava saber sobre a felicidade está errado. Ou pense como reagiria se lhe dissessem que os motivos por ter colocado de lado seus sonhos e suas paixões não passam de uma farsa. Julian é um jovem professor que, como muitas pessoas, acreditava estar vivendo da melhor maneira possível. Deixara de lado alguns sonhos por motivos lógicos, irrefutáveis. Mas, durante uma viagem de férias em Bali, ao consultar um velho curandeiro que procura por pura curiosidade antropológica, descobre que sua lógica está equivocada e que noções pré-concebidas sobre como o mundo funciona o estavam impedindo de correr atrás da verdadeira felicidade. O passeio turístico vira então uma viagem profunda de auto-conhecimento, a partir da constatação de que ele não é feliz como imaginava e como poderia ser.


"E por que não é feliz?", é indagado. Para encontrar a resposta a esta simples pergunta, Julian terá que cumprir uma série de tarefas a pedido do curandeiro, cada uma mais enigmática que a outra. Depois de sete dias surpreendentes, aprende lições valiosas que irão transformar sua vida para sempre. Narrado em forma de parábola romanceada, O homem que queria ser feliz, best-seller francês já lançado em 17 países, envolve o leitor com a história do professor e, através dela, vai transmitindo uma série de ensinamentos básicos para tornar a vida melhor. Ensinamentos aparentemente tão óbvios, que não são levados em conta pela maioria das pessoas nos momentos de crise e de reflexão, quando, na verdade, deveriam ser usados como norte. "Hesitei durante dois anos entre escrever este livro em forma de guia de auto-ajuda ou de romance. Hoje estou convencido que um romance tem muito mais poder de transportar os leitores para o universo que se deseja do que um guia. Nada substitui a força metafórica de uma história bem contada", diz o autor, especialista em desenvolvimento pessoal.
Gounelle usa sua própria hesitação em escrever um romance para exemplificar o conceito que serve de eixo para sua tese. "Para ser franco, eu não me sentia capaz de escrever um romance, de criar pesonagens. Esse foi sem dúvida o motivo de ter demorado tanto a fazê- lo", conta ele. Segundo Gounelle, grande parte dos nossos medos é criação do nosso espírito. Esse tipo de medo, observa ele, tem a função de nos proteger numa zona de conforto, sem o risco da rejeição ou de fracasso: "Eu era tímido, então me matriculei no teatro. Eu tinha vertigem, comecei a praticar parapente. A única forma que temos de superar uma realidade que tememos, é enfrentando- a." Para o autor, a pincipal lição do curandeiro, inspirado em personagem real que ele de fato conheceu em Bali, é partir sempre da premissa de que antes de mais nada é preciso aprender a identificar se um medo é fruto de uma crença pessoal a respeito de si, dos outros e do mundo, ou se corresponde a uma realidade a ser evitada: "As crenças pessoais podem ser uma prisão. Neste livro, procuro ensinar o melhor caminho para se libertar do medo paralisante que essas crenças podem provocar."

Bom o livro é realmente fantástico, uma leitura simples e ''gostosa'' de se fazer, da pra ler em um dia, parece um bate-papo seu com um psicologo, uma história do protagonista que viaja e encontra uma pessoa especial e junto a ela tenta desvendar o porque de que não é um homem feliz, e o que poderia fazer para que se tornasse feliz, e porque não faz as mesmas coisas para tentar garantir a sua felicidade, e nesses dias que o protagonista passa com essa pessoa em diversos bate-papos, eu diria como em uma terapia do bem estar, ele consegue perceber coisas simples que fazem total diferença na vida dele e no própio cotidiano, recomendo, muito bom, quando começamos a ler não da vontade de parar...rs